Guaraí - Tocantins - Brasil, Sábado, 25 de Novembro de 2017

Acessos: 77208

Você está em: Página Inicial » Notícias » Detalhe da Notícia

Empreendedor Social Inovadores

O Global Entrepreneurship Monitor examinou as características do empreendedor social. Entre os dados que se destacam estão a relativamente alta presença de mulheres e empreendedores sociais jovens e a diversidade da formação acadêmica e da trajetória profissional. Homens tendem mais a iniciar um empreendimento social, mas a diferença da iniciativa entre gêneros nos empreendimentos sociais não é tão alta quanto nos empreendimentos comerciais tradicionais.

A relação de gêneros varia de país para país. Por exemplo, na Malásia, Líbano, Rússia, Israel, Islândia e Argentina, as mulheres prevalecem sobre os homens. Nos Estados Unidos, Finlândia e China, a distribuição entre homens e mulheres é quase igual. Os homens são maioria no Brasil, Arábia Saudita, Marrocos e Bósnia, por exemplo.

Pelo mundo, pessoas com idade entre 25 e 44 anos têm a mais alta propensão a se envolver com empreendedorismo social. Isso indica que indivíduos que já estão estabelecidas mas ainda são jovens estão mais propensos a iniciar um empreendimento social. De outro lado, quanto mais perto da aposentadoria as pessoas estão, mais improvável é que iniciem uma empreitada dessa.

Ao examinar o nível educacional dos empreendedores sociais, o levantamento identifica a alta presença de indivíduos com nível superior; o engajamento com atividades de empreendedorismo social está, sim, relacionado com o nível educacional. Isso é especialmente verdadeiro para as economias com mais baixo nível de desenvolvimento, inclusive. No Brasil, levantamento da Ande Polo Brasil, Fundação Avina e Potencia Ventures mostrou que 78% dos empreendedores sociais têm curso superior. O mesmo levantamento indicou que quase 80% deles já tiveram outros empreendimentos.

O Status mais comum da pessoa envolvida com o empreendedorismo social no mundo é o do profissional autônomo, seguido pelo que trabalha meio período, pelo estudante e por aquele que não trabalha.

No Brasil, as pesquisadoras Gilmara Tavares, Luiza Balduino, Tatiane Alexandre Silva e Vânia Nassif identificaram alguma características do perfil comportamental desse empreendedor; ele acredita na causa, ama o que faz, não tem pre-conceitos, trabalha sem querer nada em troca, gosta de planejar, estabelece metas, faz projetos na vida pessoal e profissional, gosta de conviver com as pessoas e orientá-las, é tolerante, compreensivo e determinado, aceita desafios.

Fonte: revista RBA por silvio anaz, colaborador de hsm management mês de maio/junho 2014.

Notícias relacionadas